quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Entrevista com o baterista Kiko da Banda Aneurose, confiram;


Com o objetivo de superar a excelente repercussão do disco “From Hell”, a Aneurose comemora 14 anos de história metendo o pé na porta com o lançamento do seu novo álbum, “Juggernaut”. Sem se limitar a rótulos ou pré-conceitos, a banda apresenta músicas que carregam a essência de cada músico que a integra, transmitindo toda energia e força do metal feito em Minas Gerais.

Após percorrer o Brasil com a “Tour From Hell”, o grupo reconhecido por seus shows explosivos, inicia agora a turnê de divulgação do novo CD, agendando datas por todo país, e em 2017 chega também à Europa.

O debut álbum “From Hell“ apresentou a Aneurose ao Brasil, mas Juggernaut” vem para consolidar a banda mineira no cenário do metal mundial.


1-Como surgiu a banda, e qual a vertente? Há quanto tempo estão na estrada?
Kiko: A banda surgiu em meados de 2002, O Wallace havia se mudado recentemente para Lavras e estava tentando montar uma banda. O Deus do rock ajudou, neste dia encontrou com Sávio, e dois amigos dele. Eram uma banda em busca de um vocalista, fizeram o primeiro ensaio uma semana depois e foi animal! O resto é História. Resumindo, a banda foi formada em 2002 e surgiu com objetivo de relatar os anseios e preocupações da sociedade. E com o objetivo de superar a excelente repercussão do disco “FromHell”, a Aneurose comemora 14 anos,lançando seu novo álbum, “Juggernaut”. Sem se limitar a rótulos ou pré-conceitos, a banda apresenta músicas que carregam a essência de cada músico que a integra, transmitindo toda energia e força do metal feito em Minas Gerais.

2-Todos os integrantes são os mesmos desde o início do grupo?
Kiko: Não, Já entraram e saíram muitos integrantes e os únicos que estão desde o início são o Sávio e o Wallace.
Atualmente o lineup é formado por:

Wallace – Vocal
Sávio – Guitarra/backing
Raphael – Guitarra
Sthefano - Baixo/vocal/backing
E eu Kiko na batera

3-De onde vieram?
Kiko: Ué, de Lavras mesmo, em MG(Terra do Sepultura).

4-Conta um vexame que passou em algum show?
Kiko: Ah cara... com a Aneurose ainda não rolou nenhum não.Ainda bem.

5-O que foi mais difícil que tiveram que enfrentar com a banda?
Kiko: Cara. Banda é compromisso e atitude e a Aneurose tem uma meta de vivermos dela. Ainda estamos bem longe disso e a cada passo que damos, descobrimos um novo mundo de informações e atitudes que precisam ser repensadas, adaptadas e geridas. A gente tem que agradecer pois a cena no Brasil está forte demais e a troca de informação também. Muita banda nacional fazendo show de igual pra igual com banda gringa e muitas vezes até muito melhor. Mas o público ainda não entendeu muito bem que tem um papel importantíssimo nessa história. E muitas vezes o músico também não.  Todos querem mostrar o próprio trampo, o novo clipe, o novo lyric, o novo álbum. Mas ninguém quer ver o do outro. Parece querer apenas ficar fazendo massagem no umbigo. Porra. A cena tá ai pra gente se ajudar e fazer ela crescer. E claro que você tem que divulgar o seu som. Mas divulga o som do parceiro da cidade vizinha também, da banda do bairro ao lado. E de bandas que estão crescendo. Todos só tem a ganhar com isso.

6-Qual a canção da banda q mais gostam?
Kiko:Não tenho uma preferida não. Depende muito do dia. Eu sou muito eclético e escuto vários estilos musicais bem diferentes e tudo depende do meu humor diário. E ainda bem que essa versatilidade está no disco e posso, se eu quiser, escutar uma música mais cadenciada, mais porrada, ou até mesmo mais viagem, pois tem no disco, saca? Então assim. Não tenho uma mesmo não.

7-Quantos shows fazem por mês? Qual foi o show mais marcante?
Kiko: Você trabalha com entrevistas de banda e sabe como funciona essas coisas. As vezes temos vários shows em um mês e as vezes ficamos meses sem tocar. Vai depender do foco da banda. Quando estamos compondo, não queremos sair para tocar tanto assim. E tem época que tudo que fazemos é tocar até acabar tudo.
Agora o mais marcante? Acho que sempre vai ser o próximo da banda. Todo show é aprendizado. E sempre nos apresentamos com 100% da nossa capacidade, injetada com nitroglicerina e uma pitada de álcool.

8-Quais as influências da banda?
Cara, a influência é pessoal de cada um. E cada um tem uma “escola” diferente. E a gente consegue juntar tudo isso no som que fazemos e pra mim isso é a mágica do negócio. O que rola quando tá todo mundo tocando junto no estúdio. Eu poderia dizer Charlie Brown Jr, Nirvana, Ramones, Sepultura, Soulfy, Cavaleira Conspiracy, SuicidalTendencies, SonicYouth, FooFighters, Disturbed, Meshuggah, Dream Theater, Kamelot, Claustrofobian, Vodoopriest,Furiainc, Hatefulmaaurder, e todas as bandas que estão fazendo a cena e dividindo palco com a gente ...

9-Como a família reagiu ao saber que escolheram estar no mundo da música? Qual o momento que se descobriram artistas?
Kiko: A gente vive o dia a dia. Com o profissionalismo que estamos tentando alcançar, acaba que temos 2 empregos.  Um que paga as contas e a banda, que por enquanto, é só investimento. As nossas famílias nos respeitam muito e comemoram cada meta atingida, cada show e cada camisa vendida pois elas vem a nossa correria desde o começo. Cara, Artistas?  A gente não pensa nisso não. Só queremos fazer um bom show de cada vez e destruir cada palco por onde passarmos.

10-As músicas são os integrantes que as compõe?
Kiko: As composições são feitas por todos e todos damos palpites em todas as partes.

11-Qual o maior sucesso da banda?
Kiko: Acho isso meio pessoal. Cada um tem a sua preferida. Eu poderia até arriscar a dizer que são HuntingKnife (nosso primeiro clipe), Drunk as skunk (nosso primeiro Drunken clipe) ou Butcher (nosso primeiro Lyric) mas achoque estaria sendo injusto com todas as outras músicas como Drink Like a man, ou DeatlhyColdChill,

12-Já teve alguma loucura de fã pra contar?
Kiko: Teve uma vez que uma menina reconheceu a gente no meio da multidão em um show no interior de MG. Ela pediu pra batera uma foto com a gente e quando chegou perto e abraçou o vocalista pra bater a foto, desabou em choro. Pra ela aquilo foi um momento mágico, saca? E esse retorno é legal porque percebe que agente consegue mudar o mundo, uma pessoa de cada vez.

13-Qual sonho vocês ainda pretendem realizar em relação a banda?
Kiko: Tocar nos maiores festivais do mundo seria a metal atual da banda.

14-Uma mensagem para pessoas que acompanham o trabalho de vocês?
Kiko: Só agradecer cada um que tem dado o suporte pra banda, indo aos shows, comprando nosso CD ou camiseta. E principalmente, bangeando até o show acabar. Logo logo nos vemos num show perto de você. Valeu.


J. Paulo Ferreira



Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário