sábado, 17 de dezembro de 2016

ENTREVISTA COM A BANDA ARKEN – ‘’O MELHOR DO ROCK‘’




1-Como a banda surgiu, e qual a vertente? Há quanto tempo estão na estrada?
Até o final de 2015, éramos integrantes da banda Inner Call e inclusive gravamos o debut (o primeiro álbum). Depois disso, decidimos seguir a carreira formando uma nova banda e, então, surgiu a Arken ainda em 2015.
Desde então estamos focados em finalizar as novas composições. Temos 10 demos, das quais quatro já estão disponíveis nas nossas redes sociais.
Arken vem de “Arkenstone” e significa “pedra Arken”, que é a joia do rei na trilogia “O Hobbit”, do universo criado pelo autor J. R. R. Tolkien.

2-Todos os integrantes são os mesmos desde o inicio do grupo?
Não, a nova formação é desde o final de 2015. Eu, Rafa, sou compositor e um dos guitarristas junto com o Renato. Fábio é o vocalista e o Arthur é o baixista. Estamos com uma oportunidade em aberto para bateristas, quem tiver interesse pode entrar em contato conosco pelas redes sociais (https://www.facebook.com/arkenband).

3- De onde vieram?
Somos todos de São Paulo, capital, cada um de um bairro. Mas a história dos integrantes é bem interessante. Eu, por exemplo, sou  músico há 18 anos e já fiz shows com outras bandas por vários estados do Brasil. Já o outro Renato, guitarrista, era de uma banda cover Megadeth (banda dos Estados Unidos) e chegaram a tocar num festival em Manaus (Amazonas).

4 - Conta um vexame que passou em algum show?
Houve um show, se não me engano em 2003, em um colégio de freiras e deu praticamente tudo errado. Não tínhamos bons equipamentos e o meu pedal de guitarra (que define o timbre) superaqueceu por causa da máquina de fumaça que ficou muito próxima. Então, toda hora que eu mudava para o canal de solo, o pedal desligava.
Ainda no mesmo show, tivemos uma situação complicada porque estávamos tocando nesse colégio de freiras e o outro guitarrista da banda era aluno dessa escola. O apelido dele era “Demônio”, por causa do virtuosismo que ele desenvolveu muito cedo. Nos solos dele, o público gritava repetidamente “demônio, demônio, demônio...”. Então, dá pra imaginar o que aconteceu depois.

5-O que foi mais difícil que tiveram que enfrentar com a banda?
Calotes, muitos calotes. Fizemos um show no interior de SP que nos foi prometido um cachê ótimo e condições perfeitas, seria para até 200 pessoas. Chegando lá não havia palco, o bar tinha capacidade para 20 pessoas no máximo e, claro, não recebemos um centavo pela apresentação. Mas cumprimos a nossa palavra, mesmo assim fizemos o show!

6-Qual a canção da banda que mais gostam?
Essa é uma resposta pessoal. No meu caso, como participei da composição de todas, gosto de todas. Para eleger uma única, diria Care Less, a palavra em si tem outro significado, mas com uma licença poética, a letra trata de um imperativo para “se importar menos” com praticamente tudo que não merece tanta atenção no dia a dia, e isso faz muito sentido para mim.

7-Quantos shows fazem por mês? Qual foi o show mais marcante?
Faz pouco tempo que iniciamos os trabalhos sob o nome Arken, então a periodicidade dos shows varia muito, ficamos na dependência do nosso empresário. Apesar de acompanhar um certo levante de festivais underground no nordeste, aqui no sudeste vemos o contrário, cada vez menos espaço para artistas originais e o fechamento de casas noturnas históricas.

8-Quais as influências da banda?
Cada integrante da banda tem uma influência diferente dentro do metal. Mas em comum todos nós ouvimos muito Iron Maiden, Megadeth, Helloween, Saxon, Judas Priest, Black Sabbath e outras bandas menos conhecidas da NWOBHM (New Wave of British Heavy Metal, que é um movimento que surgiu na Inglaterra, nos anos 80 e que teve como uma das bandas de maior sucesso o Iron Maiden).

9-Como a família reagiu ao saber que escolheram estar no mundo da música? Qual o momento que se descobriram artistas?
Todos nós começamos jovens, na adolescência. No meu caso, tenho músicos de profissão por todos os lados da família, então a aceitação não foi complicada. O difícil é manter-se nesse meio sem recursos, tirando dinheiro do próprio bolso. Por isso, estamos abertos a oportunidades, inclusive a fazer parceria com gravadoras.

10-As músicas são os integrantes que as compõem?
Sim, todas as músicas são composições 100% dos integrantes. Temos muita bagagem de bandas anteriores, então inspiração é o que não falta.

11-Qual o maior sucesso da banda?
A música que tem sido mais comentada e clicada é Care Less. Imagino que as pessoas se identificam com a letra que fala muitas verdades sobre todos nós.

12-Já teve alguma loucura de fã pra contar?
Teve um show que fizemos em Amparo (interior de São Paulo), em 2006, na concha acústica da cidade. Éramos a única banda da capital e não sei muito bem dizer o motivo, mas ao final do show o público subiu correndo no palco querendo palhetas, baquetas, etc. Ficamos um pouco assustados de início, com medo de perder algum equipamento, mas foi só carinho do público, a apresentação foi muito boa e no final estava tudo em ordem. Eles só queriam uma lembrança da banda.

13-Qual sonho vocês ainda pretendem realizar em relação à banda?
Sonhos são muitos. Que banda não quer tocar no Wacken Open Air (festival de metal que acontece na Alemanha), ou então no Rock In Rio, no Monsters of Rock? Abrir show para os nossos ídolos, por exemplo. Mas acho que o grande sonho mesmo é estar num desses festivais e ouvir o público cantando as nossas músicas.

14-Uma mensagem para pessoas que acompanham o trabalho de vocês?
Estamos em busca de parceiros para gravar nosso primeiro CD, fazer a turnê de lançamento e quem sabe, muito em breve, tocar no Wacken Open Air? As nossas composições trazem muitos questionamentos e com letras para fazer as pessoas pararem para pensar no que realmente vale a pena, situações do cotidiano, comportamentos e histórias que inspiram.

Links
insta - @arkenband
https://twitter.com/arken_band

FONTE: '' O MELHOR DO ROCK ''

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário