quarta-feira, 17 de maio de 2017

ENTREVISTA – ‘’ O MELHOR DO ROCK ‘’ - DeCifra me


1-Como surgiu à banda, e qual a vertente? Há quanto tempo estão na estrada?
Vivi Alves – A banda surgiu de uma forma bem engraçada. O ano era 2006, Allan Gil (meu marido) resolveu que iria dar início a uma banda com seus amigos. Eu apoiei. O que eu não sabia era que, após a banda montada e as primeiras composições prontas, a vaga de vocalista era minha (risos). A princípio, a banda não tinha um estilo definido, tocávamos o que soasse do nosso agrado, mas sem uma preocupação maior. Apenas no final de 2009, quando começamos a nos preparar para fazer a abertura do show da banda norueguesa Sirenia, resolvemos nos definir como Heavy Metal Sinfônico. Esse ano completaremos nossos 11 anos de existência.

2-Todos os integrantes são os mesmos desde o inicio do grupo?
Vivi Alves – Não. Foram muitos anos e também muitas formações, permanecendo desde o princípio apenas o baixista e líder (Allan Gil) e eu.

3-De onde vieram? 
Vivi Alves – A princípio toda formação era de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense (RJ). Com as mudanças de formação, os integrantes começaram a vir de outras cidades, porém, preferimos continuar considerando a banda como uma banda Duque-Caxiense.

4-Conta um vexame que passou em algum show?
Vivi Alves – Olha vexame comigo não teve, mas houve uma situação, bem lá no início da banda em que um dos guitarristas bebeu além da conta e na hora do show, sei lá como, conseguiu despencar do palco com guitarra e tudo (risos)

5-O que foi mais difícil que tiveram que enfrentar com a banda?
Vivi Alves – Dificuldade tem aos montes, principalmente no lugar em que estamos... Mas ainda acho que a maior dificuldade é a falta de grana (não somos ricos, muito pelo contrário) e tudo numa banda tem um custo muito alto. 

6-Qual a canção da banda q mais gostam?
Vivi Alves – Essa questão é um pouco polêmica porque como a banda tem muitos integrantes (8) e cada um tem um tipo de preferência, fica difícil chegar a um denominador comum. Mas a única música que se repete nas opiniões de todos aqui é a “Simbology of Numbers”.

7-Quantos shows fazem por mês? Qual foi o show mais marcante?
Vivi Alves – Isso é outra questão um tanto quanto polêmica. Nós fazemos pouquíssimos shows, chegamos a passar meses sem tocar. Pelo nosso estilo e pelos recursos que necessitamos para o nosso show, muitas das vezes não somos cogitados em festivais, pois, muita das vezes o equipamento das casas não nos suporta ou também, a produção não aceita arcar com os custos de levarmos nosso próprio equipamento para que nosso show ocorra da melhor da forma que deve ser. É difícil fazer Heavy Metal Sinfônico quando não se utiliza de samplers e nós, fazemos tudo ao vivo. Com relação ao show mais marcante, sem dúvidas foi à abertura da banda norueguesa Sirenia, em 2010.

8-Quais as influencias da banda?
Vivi Alves – Temos influências variadas. Praticamente cada integrante é mais influenciado por um estilo e isso é bom. Então, pode-se dizer que, de muitas influências, as mais diretas são Therion, Nightwish, Dimmu Borgir, Coronatus, Paradise Lost, Dark Moor, Lordi, Slayer, Metallica, Korpiklaani, Andre Matos, blind Guardian... Enfim, uma farofada só (risos)

9-Como a família reagiu ao saber que escolheram estar no mundo da música? Qual o momento que se descobriram artistas?
Vivi Alves – Olha, tivemos alguns problemas familiares no começo, mas foram superados conforme o trabalho ia se tornando mais sólido. A descoberta dentro da arte acontece praticamente todos os dias, estamos constantemente aprendendo e isso até torna difícil nos intitularmos artistas.

10-As músicas são os integrantes que as compõe?
Vivi Alves – Algumas vezes eu mesma as componho e depois as apresento a banda, que vai adaptando e somando mais informações e influências próprias. Outras vezes, cada um contribui com a sua parte e juntamos tudo.

11-Qual o maior sucesso da banda?
Vivi Alves – Sem dúvidas é a “Simbology of Numbers”. Essa é a música que a galera costuma cantar junto nos shows. Mas acreditamos que após o lançamento do clipe de “Forbidden to Live”, a disputa vai ficar acirrada entre as duas (risos)

12-Já teve alguma loucura de fã pra contar?
Vivi Alves – Sim (risos) um guitarrista nosso já foi perseguido até a porta de casa por uma fã apaixonada após um show!

13-Qual sonho vocês ainda pretendem realizar em relação a banda?
Vivi Alves – Sair do país para tocar.

14-Uma mensagem para pessoas que acompanham o trabalho de vocês? 
Vivi Alves – Eu só tenho a agradecer as pessoas que nos acompanham. Eu costumo dizer que a deCifra me não tem fãs, tem amigos. Manter uma banda por tanto tempo pode ser algo muito difícil e é nesses momentos de fraqueza e desânimo que o nosso público nos ajuda a continuar. Só temos a agradecer!

Para acompanhar a banda, acesse os links abaixo:
https://play.spotify.com/artist/36j0JjJB99YpFST2QHKzAv
https://www.amazon.com/gp/product/B00TAJX9RS?ie=UTF8..
https://itunes.apple.com/us/album/simbology-of-numbers-single/id962166284
https://www.facebook.com/deciframe
https://soundcloud.com/decifra-me-official
https://twitter.com/deciframe

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário