sábado, 4 de março de 2017

Resenha : OUTMASK - A Kind of Being

Formado em 2011,a banda de Heavy metal experimental OUTMASK lançou seu primeiro trabalho em 2016,trabalho que venho realizar a resenha hoje.
Com oito faixas,que somam 48 minutos de experimentalismo e progressivo,que particularmente não gosto tanto.a guitarra se mostra evolutiva durante todo o material,o baixo é sensacional ,a bateria é destacada bem raramente, também outros instrumentos deixaram a obra bem mais grandiosa,mas o que pecou no material da banda é que as musicas se parecem muito e fica um pouco repetitivo de se ouvir.

O material gráfico apresenta um encarte padrão da industria,com suas letras em inglês e algumas fotos dos integrantes, e também a arte de capa é brilhante e bem chamativa e não foge do tema da banda.

Material produzido pela própria banda e mixado por Andrey Menezes e masterizado no Van studio,e lançado pela MS Metal Records e distribuída pela Voice Music.

A primeira faixa do álbum se chama "Awakening" nela se é utilizado o teclado,depois de 2 minutos de introdução da faixa inicia-se o vocal que lego me surpreendeu com sei vocal limpo,o riff de guitarra poderia se envolver um pouca mais,baixo,bateria deixam a musica com aquele tom ideal,em geral essa faixa com impressionantes 8 minutos,é uma ótima abertura de material.
A segunda faixa "Contact" se inicia com uma guitarradas e com um envolvente por parte do baixo bem grande,e inicialmente a segunda faixa fica na quela singela clima bom,Um solo de guitarra com pouco Felling e e bem pouca técnica.
A terceira faixa "Blindness" que fica na mesma linha melódica das faixas anteriores,ela tem uma guitarra que o riff não é muito engenhoso,mas o baixo segura as pontas e deixa tudo bem mais fácil para a guitarra.
A quarta faixa "Numb" se nota nessa faixa a influencia da banda no Jazz,os instrumentos e o jeito único de se tocar casaram muito bem .
A quinta faixa "Wilting" faixa bem diferente das demais,mais pesada,na verdade bem mais pesada que as outras(pelo mesmo no começo da musica),mas com o elemento progressivo da banda continua intacto,no meio da faixa la para os 3 minutos a banda volta com sua velocidade e peso, e abanda fica alternando entre a velocidade e peso para o clima calmo e bonitinho.
A sexta faixa que se chama "Unformed" é uma faixa que fica no mesmo estilo sonoro que as primeiras faixas apresentaram,mesmos instrumentos e quase o mesmo ritmo.
A sétima faixa "Divinity" ´´e a faixa mais grande do material com 9 minutos e 22 segundos de musica, o experimentalismo dessa faixa é um pouco abaixo das demais,guitarra com uma ótima base,mas la para meio da musica as coisas ficam boas,a banda ganha um pouco de velocidade e bem pouco mesmo de peso,o baixo martelando um prego de cada vez.
A oitava e ultima faixa do álbum é "Reset" Faixa com grande grau de experimentalismo e com uso variado de elementos que mais gosto no nesse matéria,e alem de instrumentos valiosos e os momentos finais do álbum são grandiosos e inesquecíveis .



Membros da banda:
Ed Paul - Vocals
Daniel Samson - Guitars
Omar de Paula - Synths
Marcel Metal - Bass
Diego Vieira - Drums

Nota:7,5

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário